Vinde a mim: o convite consolador

Share on telegram
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email

Mesmo o leitor que não seja cristão provavelmente reconhecerá essa passagem: “Vinde a mim todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendeis de mim, porque sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso para as vossas almas. Pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve” (Mt 11:28-30). Essas palavras, proferidas pelo próprio Senhor Jesus, se tornaram conhecidas no mundo inteiro.

Não foi sem razão que John Charles Ryle (1816-1900), ao comentar esse trecho das Escrituras, afirmou que “esses versos são um precioso encorajamento e merecem ser lidos com especial atenção. Por quase dois mil anos, eles têm sido uma bênção para o mundo e têm beneficiado milhões de pessoas. Não há uma única sentença, nesses versículos, que não contenha pensamentos preciosos” (RYLE, 2018, p. 120). Essas palavras do Senhor têm regado corações e servido de alento a muitas almas:

Observe quem são aqueles a quem Jesus convida. Ele não se dirige àqueles que se sentem justos e dignos de si mesmos. Ao contrário, dirige-se a “todos os que estais cansados e sobrecarregados”. Essa é uma descrição bastante ampla. Abrange multidões neste mundo cansativo. Todos os que sentem um peso no coração, todos que desejam ser livres de alguma carga do pecado, de alguma tristeza, de alguma carga de ansiedade ou de remorso — todos estão convidados a vir a Cristo, não importa quem sejam ou o que já tenham sido na vida. (RYLE, 2018, p. 120)

Os dias são maus. Talvez nem o mais pessimista dos homens poderia ter imaginado um ano tão difícil e doloroso. Muitas são as almas cansadas, feridas, enlutadas. Milhares e milhares de histórias que a pouco estavam sendo escritas tiveram um final trágico. A pandemia tem feito um número muito grande de famílias ter que lidar de modo tão precoce com a dor da despedida. Pais, mães, filhos, amigos, conhecidos… a morte tem visitado muitos lares.

Contudo, o Senhor também se dirige, hoje, àqueles que choram. Ele se dirige, também, às milhares de famílias enlutadas. Ele sabe o que é padecer. Embora não tenhamos todas as respostas para o sofrimento humano, o Senhor não está indiferente à dor. Ele é também o Deus Emanuel em meio a dor. E um dia haverá de enxugar toda lágrima. Não haverá mais morte, nem pranto, nem dor (Ap 21:4).


Referência

RYLE, John C. Meditações no evangelho de Mateus. Traduzido por Editora Fiel de Expository thoughts on the gospels: Mathews. São José dos Campos, SP: Fiel, 2018.


2 comments

  1. Alex Dias Oliveira de Carvalho

    Acabei de ler essa reflexão e fui tocado pelas doces palavras do Senhor Jesus.

    Simplesmente de mais.

    Minha oração é que o Senhor continue abençoando esse blog e as pessoas que o administram, com bons Podcast, Cursos e Guia de estudos.

    Tenho certeza que isso tem ajudado muitas pessoas a se aprofundar no conhecimento Bíblico e despertado muitos a devocionais.

    Forte abraço!
    Att,

  2. Alex Dias Oliveira de Carvalho

    Minha oração é que o Senhor continue abençoando esse blog e as pessoas que o administram, com bons Podcast, Cursos e Guia de estudos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *